domingo, outubro 21, 2007

Esse Mês estamos colocando no ar a entrevista realizada com Jeca Orgasmatron, baixista e Vocalista da banda de Thrash Metal de Marechal Cândido Rondon / Toledo। A banda que recentemente abriu os Shows de bandas como Matanza e Violator, e brevemente lançará sua primeira demo!




O Hell Bullet é uma banda oriunda do Hipnose Destrutiva। Conte como se deu esse processo de formação...
Jeca: Bom, o Hipnose Destrutiva tinha como formação eu, o Digo e na guitarra outro camarada nosso das antigas, o Lipe। Mas em janeiro deste ano, ele se mudou para Curitiba para cursar sua faculdade. Como eu e o Digo não queríamos ficar parados, logo tratamos de arrumar dois guitarristas que curtissem as mesmas "podreiras" que a gente, e assim pudemos tocar o som que realmente sempre curtimos!
Foi difícil chegar ao Chuck e o Tonho, quer dizer, já que vocês não conseguiram encontrar um substituto de Rondon que se enquadrasse no perfil que vocês queriam?
Jeca: Aqui em Rondon a gente já sabia que não íamos encontrar alguém com as características necessárias। Então recorremos a Toledo. Já tinha ouvido falar no Chuck, e o conhecia apenas de vista em alguns shows, e Tonho foi recomendado pelo Chuck, já que os dois já são camaradas há algum tempo.
Quais são as maiores influências da banda?
Jeca: Todo aquele espírito do Thrash Metal dos anos 80. Thrash alemão quanto o da Bay-Area। Bandas como o bom e velho Sepultura, Taurus, Exodus, Kreator, Vio-Lence servem como influências, e muitas outras...
Bom, por que da troca de nome? Levando em consideração que quando vocês mudaram de estilo (passaram do Punk Rock para o Thrash Metal) vocês não mudaram de nome. E esse nome, qual foi à inspiração?
Jeca: Então, na época do Hipnose Destrutiva, quando houve a troca de estilo não trocamos de nome porque aquela mudança já era prevista desde o início. Quando começamos, ninguém sabia tocar nada! Então começamos fazendo covers de Ramones, Pistols, Ratos de Porão que era o que conseguíamos tocar. E aos poucos fomos evoluindo, mas ainda era a mesma banda. Mas com toda a troca de integrantes, quando o Lipe saiu do Hipnose Destrutiva, eu preferi encarar o Hell Bullet como uma nova banda, e não uma continuação. Então veio o novo nome... Foi difícil escolher um. Pensamos em vários outros, mas acabamos ficando com Hell Bullet que mesmo sendo um nome bem Thrash, ele foge daquele clichê que muitas bandas caem.
Os integrantes são de duas cidades diferentes, apesar de próximas, isso atrapalha de certa forma os ensaios?
Jeca: São 45 km que separam a gente! Hehehe. Mas mesmo assim dá para manter uma freqüência boa de ensaios. Assim é até melhor... não enjoamos da cara feia um dos outros!
Vocês já tinham algumas músicas prontas desta época, como ta o processo de composição do Hell Bullet? Vocês estão aproveitando essas composições, ou reformularam totalmente?
Jeca: As músicas da época do Hipnose não estão sendo usadas não. Mas não descarto a possibilidade de um dia usar um riff, ou uma parte de uma letra... quem sabe? E o Hell Bullet está com uns sons próprios já. Estamos ansiosos para entrar em estúdio para gravar e divulgar pro pessoal!
Vocês já vêm tocando ao vivo essas músicas, e pelo show que eu vi, a recepção da galera é grande, qual a sensação de ver galera cantar e bater cabeça com músicas que vocês comporão bebendo? Vocês compõem bebendo, Certo? (rs)
Jeca: Hahahaha... É maravilhoso. A gente tocando e de repente já vê que a galera já sabe cantar o refrão e tal... bem legal! Bom, temos uma música chamada "Kill For Beer", e a letra não poderia ser composta de outra forma que não fosse tomando uma cerveja!
Esse ano tem sido muito produtivo para vocês, vocês fizeram muitos show e shows importantes como abertura do Violator e do Matanza. Isso se deu devido à maturidade da banda ou os contatos que vocês adquiriram com o tempo?
Jeca: Esse ano não poderia estar melhor... Já fizemos bastantes shows aqui na região. Esses dois que você citou foram bem importantes para a divulgação. Tocar com nossos camaradas do Violator foi bem legal! E no show com o Matanza, deu uma boa exposição para a banda, sendo que apesar do nosso público atual, estava presente também pessoal que curte diversos estilos. E também rolou as paradas underground D.I.Y. Que a gente mesmo organiza com as outras bandas, que foi muito foda mesmo! E sobre a maturidade e contatos, eu acho que uma coisa é relativa a outro. Aos poucos fomos ganhando experiência, e o nosso empenho e esforço foi sendo reconhecido pelo público e as pessoas que organizam os shows. Então uma coisa levou à outra. Que se você tem qualidade, mas não faz os contatos dentro da cena, não adianta nada, e vice-versa. A gente só agradece ao pessoal que nos apóia, e divulga como você, Carlão, através do Kill Stage, e a nossa parte a gente faz! Hahahaha


Com certeza hoje vocês são a maior representatividade da música pesada de Rondon (se não a única), mesmo com o Tonho e o Chuck de Toledo. Como vocês vêm à cena de Rondon durante esse período que vocês estão na ativa? Comparando com a de Toledo, por exemplo, e Cascavel que é onde os shows estão rolando ultimamente.
Jeca: Então, Rondon nunca teve certa "tradição" em termos de música pesada. As maiorias das bandas que surgem aqui no cenário são de rock'n roll, ou punk. E os shows aqui, ultimamente estão bem devagar... já tivemos momentos melhores, infelizmente. Mas em compensação a galera do thrash está bem unida, aqui onde chamamos de Bay-Area do Paraná, que envolve Rondon, Toledo e Cascavel. O pessoal todo, muito unido mesmo. Rolando show direto... muito legal mesmo! É uma pena que aqui em Rondon seja um pouco mais fraco.
Antes do fim da Hipnose, vocês tinham um projeto de gravar uma demo ensaio, esse projeto ainda existe? Como ele ta sendo encarado?
Jeca: Naquela época o esquema ia ser bem caseiro mesmo! Íamos gravar aqui em casa, onde ensaiamos mesmo. Mas infelizmente a banda acabou antes de registrarmos aquela demo-tosqueira! Hahaha. Agora os planos são de até dezembro entrar em estúdio, e lançar a demo, se tudo der certo, em janeiro. Mas antes disso vamos soltar algumas músicas na internet pro pessoal!
Qual o Nome e as faixas que provavelmente farão parte dessa demo?
Jeca: Destroy Your Neck, Hell Bullet; Kill For Beer e Toxic Attack
O que vocês esperam do futuro... (rs)
Jeca:
Bom, dia 4 de novembro agora estaremos tocando em um lugar mais longe de casa, em Guarapuava, junto com nossos camaradas do Hate Your Fate. Acho que vai rolar uma divulgação legal para as bandas. E até o final do ano esperamos tocar o máximo possível. Fazer o Underground Union II, e entrar em estúdio. Veremos o que rola ano que vem com a demo!
É sempre um prazer falar com vocês, espero fazer várias entrevistas ainda... Obrigado pela entrevista e esse espaço é de vocês... Podem mandar ver...
Jeca:
Primeiramente, agradecer você Carlão, pelo apoio que sempre deu, desde o começo na época do Hipnose! Agradecer a nossas versões femininas (hahaha). A toda a galera de Rondon, Toledo e Cascavel, mais conhecida como Piazada Feia da Porra! Que está mais unida do que nunca. As bandas que vem tocando com a gente, sem nenhuma pilantragem. E a você que leu tudo isso aqui! Valeu!










 
posted by Botto Killer at 1:22 PM 1 comments
domingo, setembro 16, 2007

Saudações, esse mês colocaremos no ar a entrevista gravada em Abril desse ano com a banda de Hard Rock, Steel Pussy. Essa entrevista foi gravada no segundo show realizado com a banda em Toledo – PR
Nos últimos tempos a banda se encontrou paralisada por questões de viabilidade de ensaios, cancelando até algumas datas que fariam, mas recentemente agendaram um show para dia 12/10 em Foz do Iguaçu, junto com a banda Sky Vision, banda do guitarrista e do Baixista, Ruzza e Jonas respectivamente, que também fazem parte do Steel Pussy.
Por alguns problemas técnicos, essa entrevista não foi editada, e por isso perde um pouco sua qualidade de som, mas da pra conferir a idéia principal da banda.
(BK)





Assista o Video:


Marcadores:

 
posted by Botto Killer at 11:12 AM 0 comments
sábado, agosto 25, 2007
Saudações...

Após muitos meses estamos de volta... E agora com força total... E algumas surpresas...

Segue abaixo a entrevista com o Mágica, que recentemente lançou o disco demo "Mágica I"





1 – Como surgiu a banda e porque do nome Mágica?
Diogo Franco: Surgiu com a empolgação desse revival do hard que aconteceu,quanto ao nome, achamos que seria um nome bem clichê, que seria de fácil memorização,algo que todos achavam bem comum mas ninguém havia tentado antes, então pensamos pq nao?? Tem haver com a Mágica oitentista...
2 – Quais os Membros atuais e suas funções?
Diogo Franco: Criss Ferr no baixo,Allan Jones no vocal,Eddie Lobo na bateria, e eu na guitarra...
3 – Assim como na maioria das bandas underground, foi difícil conseguir uma formação estável para a banda?
Allan Jones: Assim como na maioria das bandas no mundo todo, foi sim (risos) tínhamos uma maldição de baixista, Cris chegou e espero que tenha dado um fim a ela.

4 – Quais São as influências da banda?
Diogo Franco: minhas influências vão desde o rock n' roll clássico ao heavy metal,passando pelo pop, o hard dos anos 80 e até disco music...
Allan Jones: Exatamente as mesmas, mas lógicamente cada um tem suas preferências particulares...Se você perguntar quais artistas me influenciam, tenho alguns na ponta da língua: David Bowie, o qual eu sou fascinado, Todd Rundgren é outro que também me emociona, Joe Lynn Turner entra na lista de prediletos tb, etc....
5 – Como surgiu a oportunidade de participar da coletânia HARD ROCK BRAZIL I?
Allan Jones: Bem, O Marcelo Puzzy que é o criador do site Sleaze Rock tinha essa idéia a tempos, e durante uma de nossas conversas, esse assunto veio á tona, deixei claro que achava que isso seria uma grande prestação de serviço ao hard rock nacional e que estaria disposto a ajudar no que fosse preciso. Lógicamente isso incluiria a liberação de algum material do Mágica para a coletânea.

6 – “Ela É Tudo Que Ele Ama Odiar” Foi à música escolhida para participar dessa coletânia, alguma coisa em especial nela? (Risos)
Diogo Franco: Foi a nossa música de trabalho deste primeiro cd demo.
Allan Jones: O que há de especial é que todo mundo se identifica com esta canção, afinal, quem nunca amou e odiou outra pessoa ao mesmo tempo? Pelo menos uma vez na vida você passa por isso, ódio e amor são opostos, e a lei diz que os opostos se atraem.
Quando um cara fala muito mal de uma mulher aparentemente atrativa, é tesão ou amor reprimido na certa. Em ambos os casos, ele sabe que isso pode fazer com que perca a cabeça e deixe de ser ele mesmo, isso assusta qualquer um. A canção trata exatamente disso.
7 – Além de muito difundida essa coletânia conta com grandes nomes do Hard Rock dos anos oitenta e de hoje. Como Salário Mínimo, Harpia, Exxótica, Serguei, Taffo e Baby Doll, isso definitivamente abriu algumas portas pra vocês? Como vocês fazem o balanço desde esse lançamento até o recente disco?
Allan Jones:O mais interessante desta coletânea foi pelo fato se não se tratar de um projeto de cunho saudosista ou um projeto de divulgação para novas bandas, foi um misto de tudo isso e mais um pouco.
Como você citou, tivemos a inclusão de lendas como Serguei, Wander Taffo junto de bandas clássicas que marcaram o cenário oitentista e noventista, seria puramente nostálgico se não fosse a presença das bandas que estão de destacando no cenário atualmente.
Como eu disse, uma grande prestação de serviço ao público que através disso tem a oportunidade de conhecer um pouco mais do movimento hard rock Brasileiro, analisar o que foi feito antes e o que está sendo feito agora. O Mais incrível é imaginar que o que está ali não é nem uma terça parte do que existe no cenário, tem muita coisa legal rolando por aí, é só procurar...

8 – Entrando já no assunto do disco essa gravação é independente e traz oito faixas... Como surgiu a oportunidade dessa Demo?
Allan Jones: A banda já nasceu com o intuito de gravar, todos nós somos oriundos de outras bandas e trazíamos cada um a frustração de nunca ter gravado nada de maneira decente.
Juntamos nossas moedas, fizemos todo esforço possível para entrar no estúdio e mesmo com o pouco tempo da banda começar a gravar nosso primeiro cd.
Muitos riram, muitos acharam que seria um fiasco... e para te ser franco, parecia que nada iria sair mesmo; Sou grato ao produtor que teve uma paciência de Jó conosco.
Veja bem, nunca enganamos ninguém, nunca tivemos a pretensão de passar por super banda, nossas limitações eram claras mas tínhamos muita vontade de fazer um trabalho.
Eu sempre digo para as pessoas que fazemos um hard rock básico, direto, ou seja, você não vai encontrar no Mágica, cavalgadas de pedal duplo, arpejos clássicos, vocais líricos virtuosos...
E quanto a isso, existe um diferencial, foi a parte mais difícil no disco, afinal existe uma cultura de que hard rock em português não rola. Realmente é complicado fazer Hard rock ou Heavy metal em português...já que são estilos cadenciados e que seguem um padrão, ao qual a nossa língua destoa.
A repercussão esta sendo boa até agora, me dá um tremendo prazer quando as pessoas vem comentar que as musicas estão coesas, com as letras perfeitamente encaixadas etc...
Esse disco serviu para nós como uma espécie de laborarório musical.
Diogo Franco: Na verdade serviu para ver o que funcionava ou não em músicas de hard rock em português,ja que não queríamos fazer algo forçado, mas nem fora de padrão também...o papel do Gilson (produtor) foi de suma importância já que todos temos nossas influências pessoais, e ele dentro da competência dele nos direcionou até um ponto.
9- Além da produção a banda obteve alguma outra ajuda na composição do material e do disco?
Diogo Franco: Tivemos sim e temos enorme gratidão a essas pessoas que participaram direta ou indiretamente do processo, alguns músicos amigos como João Slima (Gravidade Zero) Luí Sales (Rockmóvel) Andy Adriano (Altered) além do próprio Gilson Gerárdsen que produziu.
Allan Jones: Além desses, Eu particularmente agradeço ao meu camarada Riq Ferris (Snow), que foi quem me socorreu numa fase complicada. Poucas pessoas sabem, mas eu sofro de refluxo gastro esofágico e teve uma época que as coisas não estavam indo muito bem para mim e estava tendo sérias dificuldades para cantar.
Riq foi o cara que ajudou a me recuperar e me colocou em forma, foi como um “personal vocal” se assim podemos dizer.

10- Como está sendo a recepção do disco por meio do público que já conhece a banda e que está indo aos shows?
Diogo Franco: Não poderia ser melhor,visto que as pessoas vem ate nós para elogiar e dizer suas faixas prediletas,apontar influências nossas que ficaram evidentes de alguma forma nas faixas,enfim,sempre se tem algum comentário a fazer...
Allan Jones: E tendo em vista que esse é nosso primeiro trabalho e que somos inexperientes ainda, já estávamos preparados para ouvir as sugestões e soluções mirabolantes para as falhas que as pessoas poderiam apontar (risos) tipo : “ se eu fosse vc, eu faria assim...” ou então “ se fizer do outro jeito vai ficar melhor” mas não, muitas pessoas estão se identificando de cara com a proposta da banda e apoiando incondicionalmente.

11 – Houve certo comentário sobre o lançamento do Mágica II, como seria a constituição deste disco? Haveria algo novo ou apenas a regravações deste primeiro compacto?
Allan Jones: Esse é um assunto interessante para ser esclarecido. Quando entramos em estúdio para gravar, decidimos que, já que não tínhamos uma gravadora e nem seriamos financiados, deveríamos cortar os custos o máximo possível, para que depois pudéssemos comercializar o trabalho a um valor simbólico apenas.
Daí veio a idéia estratégica de dividir o primeiro trabalho do Mágica em parte 1 e parte 2...
E depois, caso surja uma proposta e interesse, esses dois cds demo poderem ser relançados ou refeitos como um só, que seria o primeiro álbum da banda.
Mas isso é apenas um sonho, uma idéia, todo mundo sabe que existem milhares de bandas no Brasil e algumas ótimas. Conseguir uma gravadora ou um contrato é um privilégio de poucos, não temos idéia se conseguiremos esse feito, mas pelo ou sim pelo não, já esta aí a primeira parte do nosso trabalhos disponível, aguardem a segunda..
12 – Como anda a agenda de Shows da banda?
Diogo Franco: Não temos feito muitos shows ultimamente. A gente analisa as propostas e vê o que valhe a pena ou não. Não é todo lugar que tem espaço e público para um show de hard. Essa tarefa fica a cargo da nossa produtora (Undernight)
13 – Como vocês vêm à cena Hard/Glam do Rio de Janeiro? Já que ultimamente tem algumas bandas surgindo nessa Região.
Allan Jones: Você tem razão quando diz que muitas bandas tem surgido. Isso é muito benéfico pro Rj, tendo em vista que em termos de Brasil, caímos de 2º maior concentração para 4º, estados como Paraná e Rio Grande do Sul estão com um movimento muito forte, de dar inveja. Aqui no Rio continua a mesma coisa de sempre, eventos esporádicos, poucos espaços para o estilo... mas em compensação, como já foi dito, muita banda está surgindo e outras já conhecidas preparando trabalho novo. Isso que mantém a nossa fé de melhoras no futuro do cenário carioca.
14 – Esse espaço é de vocês... Obrigado por conceder a entrevista... Sucesso e um grande abraço!!!
Diogo Franco:obrigado a vcs do Killstage, a todo o público, e "deixem a Mágica tomar conta de suas vidas"
Allan Jones: O prazer é todo nosso, sucesso ao Killstage e parabéns pela iniciativa, esse apoio é muito válido.


(BK)

Comunidade: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=12568996
My Space: www.myspace.com/bandamagica
 
posted by Botto Killer at 12:44 PM 10 comments
domingo, abril 22, 2007



Saudações...
Entrevista com 'Elder Lükas' e 'Allan "cocaine" Thrasher', Vocalista e baterista da banda santista de Sleze Glam Dragstrip Teasze.


Como surgiu a banda?
T: Foi em 2006,quando me mudei pro estado de São Paulo.Encontrei a Amy na internet, nos conhecemos num boteco e resolvemos montar a banda. Qual foi à origem do nome?
E: Ah cara, essa pergunta é muito difícil de responder. (risos)
Quais são os membros atuais da banda e suas funções?
E: Eu, 'Elder Lükas', nos vocais e em todos os cantos do palco, 'Dee fkn' Hartz' na guitarra solo, nos backings e nas manguinhas listradas, 'Amy "sukie" Jones' na guitarra base, nos backings e com o cabelo na cara, 'Silvia Kill' no baixo e na cara de malvada no palco e 'Allan "cocaine" Thrasher' na bateria, álcool e qualquer coisa que seja outlaw.
Foi difícil vocês acharem integrantes que se adaptassem a banda para construir uma formação estável?
T: Mais ou menos. É bem complicado encontrar músicos que curtem nosso tipo de som e estejam interessados em levar a parada a sério, como visual por exemplo.Mas a gente deu sorte e a formação é a mesma desde o começo e está bem estável. Espero q continue assim.




Há algum tipo de preconceito por outras bandas ou pelo público por vocês terem duas mulheres na banda? Porque o meio do rock ainda é muito machista!
T: Nem fudendo cara! A galera adora garotas em bandas de rock, um exemplo é a Doro Pesch. Quem não gosta de ver ela no palco??
E: Outro exemplo são as meninas do Crucified Bárbara, uma banda de hard n’ heavy da Suécia. Elas são maravilhosas e fazem um som do caralhíssimo. Quem acaba não gostando muito são elas que ficam ouvindo “gostosa!” o show todo. (risos).
Quais São as influências da banda?
E: KISS, Guns n' Roses, Mötley Crüe, Backyard Babies, Dangerous Toys, Pretty Boy Floyd, New York Dolls, Faster Pussycat, Crashdïet, Alleycat Scratch, Hardcore Superstar, Big Bang Babies, Buckcherry, Ramones, Stooges, Hanoi Rocks entre outras. Hard Rock, Punk Rock e Glam Rock é o Dragstrip Teasze.
Vocês têm se apresentado pelo estado de São Paulo e o show de estréia foi aqui no Paraná, em Ponta Grossa. Como foi e como está sendo a recepção do público?
T: Os show tem sido ótimos cara. O show de estréia foi do caralho, com um set list basicamente de covers que a maioria das pessoas não conheciam, mas mesmo assim foi animal! Tocar em São Paulo é sempre divertido.A Drag é uma banda de palco, nós odiamos ensaiar cara, a gente gosta mesmo é de estar no palco! (risos)O público tem reagido bem aos shows, sempre agitando muito, cantando as músicas e bebendo com a gente! É sempre uma festa cara; antes, durante e depois do show!
"Shokker” é a primeira música que vocês gravaram. Como anda esse processo de composição da banda e a recepção do público nos shows com a música de vocês?
E: Estamos compondo insanamente (risos). Esperamos que saiam músicas dignas. O público gosta bastante da "Shokker" e é muito foda ver todos cantando a música em nossos shows.
Vocês (Elder Lükas (vocal), Allan Thrasher (bateria)) fizeram uma Jam com o Bastardz no ano passado no Manifesto Bar. Isso de certa forma deu algum tipo de “fama” ou de “impulso” para maior popularidade da banda?
E: Com certeza. O Bastardz é uma grande banda de São Paulo na qual eu sou fã de verdade e a oportunidade que os nossos amigos (Thomas Büttcher, Nat Reed e Danny Poison) nos deram foi do caralho. Amo subir no palco e aquele dia foi um grande passo para frente.T : Eu adoro o som do Bastardz, são grandes camaradas.Essas participações sempre são divertidas, nesse dia do Manifesto eu subi no palco completamente bêbado após várias tequilas com a o (Welder) Shane do Pink Dolls e não me lembro muito bem, mas foi legal! (risos)Eu me lembro do Thomas me falando outro dia : “Cara, você tocou a música meio devagar aquele dia”. (risos) E: (muitos risos)
Como anda a agenda de shows de vocês?
E: Iremos dar uma pausa nos shows para terminar o processo de composição. Em breve, estaremos destruindo, literalmente, os palcos por aí.
Como você vê a cena underground de São Paulo? Principalmente para bandas de Hard/Glam?
T: É complicado falar da cena cara. Hoje em dia melhorou bastante, a galera ta com a cabeça mais aberta. A molecada ta se ligando que não existe só o Skid Row, Bon Jovi, Guns N’Roses e que os anos 80 já passaram. Mas falando das bandas, Hard Rock mesmo pra ser sincero eu conheço poucas por aqui, como o Fairoff, Exxótica, mas a maioria é banda cover e em minha opinião esse é o maior problema da cena aqui em São Paulo, claro, de vez em quando é legal ver uma banda fazendo cover de outra que você curte, mas não SEMPRE. Aqui é show de banda cover o tempo todo, e são sempre as mesmas bandas e isso enche o saco porra!Já a cena Glam Rock/Sleaze está crescendo bastante. O Bastardz está aí destruindo sempre! Tem os caras do Pink Dolls que são foda, sempre com um set list animal e um show insano! E tem várias bandas novas começando. Espero que a cena só cresça cada vez mais, e que a galera das bandas seja mais unida!E que a porra dos bares trate as bandas como profissionais e não como palhaços!
E: O público precisa dar valor a quem realmente merece e não lotar uma casa porque a banda é a "revelação" do momento.. lotem os nossos shows porra! Nós sim merecemos. (risos) Quais são os planos para o futuro? E: "Right Now" é terminar as músicas, entrar em estúdio e gravar uma demo. Mais para frente? hmm, abrir para o Mötley Crüe está de bom tamanho. (risos) T: Gravar, beber, fazer shows, beber e.....beber!Ah, beber com os caras do Mötley seria legal também! (risos)

E: Valeu pela oportunidade, esperamos tocar novamente no Paraná em breve e que todos vocês que leram a entrevista compareçam ao nosso show. Quem quiser conhecer mais a banda é só entrar nos links abaixo:
Flickr:
http://www.flickr.com/photos/dragstrip_teasze Comunidade no Orkut: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=19758643
FOTOS: "Pá Baker"
 
posted by Botto Killer at 1:44 PM 8 comments
sábado, março 24, 2007





KILLSTAGE - RAIO X










Saudações...Devido à falta de verbas para nosso deslocamento para outras cidades (estados), resolvemos criar um novo modelo de entrevista é o Killstage – Raio X. Feita através do MSN, no mesmo sistema de perguntas e resposta. Para estrear esse novo formato do Killstage, nada mais nada menos que as caras do Pink Dolls, banda de Sleze Glam de São Paulo, Fizemos a entrevista simultânea com o vocalista Welder “Sex” Shane, e com o baterista T - Boné, um papo muito descontraído e divertido ai vai algumas das coisas que rolaram nesse papo. Um grande abraço e esperamos que gostem


















Como surgiu a banda?
T- Boné - A BANDA SURGIU EM MEADOS DE 2004 DE BRINCADEIRA COM UMA FORMAÇÃO TOTALMENTE DIFERENTE DA ATUAL, A INTENÇÃO ERA SOMENTE PARTICIPAR DE UM FESTIVAL DE HARD ROCK, POIS ANTIGAMENTE A BANDA ERA MAIS VOLTADA AO HARD E HJ SOMOS MAIS SLEAZY GLAM, E COMO A GALERA CURTIU MUITO O SHANE (UNICO ORIGINAL) DECIDIU LEVAR A SÉRIO
Welder “Sex” Shane - A banda surgiu no final de 2003, quando fui convidado pra festa de um amigo e teriam várias bandas tocando... Portanto ele sugeriu q eu montasse uma banda e também tocasse... Foi meio q na brincadeira, falei com um amigo, o Rafael... e na hora ele topou montar a banda pra fazermos esse show....mas o q seria um único show...está sobrevivendo até hoje!
Quais são os membros atuais da banda e suas funções?
T – Bone -
WELDER "SEX" SHANE, VOCALS
T BONE, DRUMS & BACKING VOCALS
TI ¨KELLY¨GLAM, GUITARS & BACKING VOCALS
E NOSSO NOVO BAIXISTA MAURÍCIO CLIFF (EX MYSTIC, E BRUTAL FAITH).

Welder “Sex” Shane - Eu. Welder Shane (vocal)... Ti Glam (guitarra), T.Bone (bateria) e o novo baixista, ainda não divulgamos o nome...

Você tem feitos shows por São Paulo, ABC e pelo interior paulista, com tem sido recepção do público?
T – Boné -
A MELHOR POSSÍVEL, GRAÇAS A INTERNET E A DIVULGAÇÃO MASSIVA QUE A GENTE FAZ EM MUITOS SHOWS NO INTERIOR A GENTE CHEGA COM A GALERA JÁ CONHECENDO NOSSO SOM E SEMPRE SOMOS O MAIS HUMILDE POSSIVEL COM TODOS.
Welder “Sex” Shane - Melhor impossível... tanto aqui quanto. No interior, o mais legal é que tocamos sujo, somos uma banda sleaze glam... nem todo mundo conhece, pessoas vão ao nosso show pensando as vezes q vamos tocar Firehouse e quando. Chegam ouvem Hardcore Superstar... mas mesmo assim acabam curtindo e fazer a festa ficar cada vez melhor.... O pessoal do interior sempre nos recebe muuito bem... e cantam e curtem todas
As músicas, do começo ao fim... apesar da cena ser menor no interior, o pessoal conhece muuuita coisa!
Sleaze Drunk in Roll... É a primeira musica que vocês gravaram... Como anda o processo de composição da banda e o de gravação?
T- Boné -
ENTÃO COMEÇAMOS 2007 TOTALMENTE FOCADOS EM COMPOR NOVAS MUSICAS PARA PODERMOS GRAVAR NOSSO PRIMEIRO EP OFICIAL, TALVEZ AINDA NESTE PRIMEIRO SEMESTRE, JÁ TEMOS UMA MÚSICA NOVA QUE JÁ TOCAMOS A BASTANTE TEMPO AO VIVO CHAMADA BLACK JACK QUE FOI COMPOSTA EM HOMENAGEM A UM EXTINTO BAR DE ROCK AND ROLL FAMOSA AQUI DE SAMPA QUE INFELIZMENTE FECHOU AS PORTAS E OS HOMENAGEAMOS NESTA LETRA DEVIDO AO FATO.
DELES SEMPRE TEREM APOIADO A BANDA DESDE O INICIO

Welder “Se” Shane -
Sim... a sleaze drunk foi à primeira, mas na verdade... gravamos só para uma divulgação mesmo, mas regravaremos ela para sair no nosso EP, q certamente até o final desse semestre deve estar pronto...Estamos compondo sim...temos bastante coisas já pra manda bala e gravar, mas como nosso baixista saiu e ainda estamos ou estivemos atrás de outro, ficou meio q demorado e tal, mas acertando com ele, não ter
Não teremos problemas em dar continuidade no trabalho...!
Recentemente vocês tiveram uma baixa na banda à saída do Midi Nite para ingressar no Bastardz... Como ocorreu a saída do Mide Nite?
T- Boné -
SEM PROBLEMAS SURGIU O CONVITE PRA ELE QUE TOPOU, MAS AINDA SOMOS MUITO AMIGOS COM CERTEZA, UM SEMPRE ESTÁ NO SHOW DO OUTRO, E O MAIS IMPORTANTE É QUE AGORA ESTAMOS COM O BAIXISTA PERFEITO PARA A BANDA, COM UM CURRÍCULUM MUITO BOM, JA TENDO FEITO PARTE DA BANDA MYSTIC QUE CONTAVA COM FRANK GODSZIC EX KREATOR NA GUITARRA E VOCAL E INCLUSIVE FIZERAM A ABERTURA DO SHOW DO OVERKILL AQUI EM SÃO PAULO.
Welder “Sex” Shane - Foi muito rápido... não estávamos esperando por isso, o Mid estava com agente há algum tempo já e nós do Pink Dolls, sempre fomos como uma família...digo no sentido de amizade....pra mim e creio q para todos da banda, a saída do Mid nos abalou, pois não digo ao fato de perder um baixista, isso é o de menos, mas sim , pedir um cara q divide tempo da sua vida com você, é mais q um irmão pra você,
Bebedeiras, viagens, enfim... isso foi o q pegou mais com a saída dele, mas como digo sempre...Pink Dolls é uma família e tenho certeza q não arrumaremos um "músico" simplesmente e sim...mais um irmão!

Então, isso não traz algum tipo de abalo na estrutura da banda?
T- Boné -
DE MANEIRA NENHUMA SÓ SERVIU PRA NOS FORTALECER MAIS DO QUE NUNCA, E ATÉ TERMOS ARRUMADO O NOVO BAIXISTA UM AMIGO NOSSO, O KEXO (BAIXISTA DA BANDA DE DEATH METAL INFAMOUS GLORY), QUEBROU UM GALHO NOS SHOWS, ENTÃO DESDE A SAÍDA DO MID NÃO TIVEMOS A MINIMA DIFICULDADE EM PROSSEGUIR NOSSA META, E GRAÇAS A DEUS TUDO TEM DADO MUITO CERTO E AGORA AINDA MAIS, POIS ESTAMOS COM NOSSA FORMAÇÃO ESTABILIZADA.
Welder “Sex” Shane - De maneria alguma.....isso nos fortalece até, pois pra nós q ficamos, temos mais e mais pra fazer e trabalhar....perdemos um soldado...mas não a guerra (Risos) o Ti Glam está cmg há mais tempo no pink, e não é primeira vez q passamos por situações assim, se todas às vezes q saísse alguém da banda, nós abaixássemos a cabeça....hj com ctza não existiria mais o Pink Dolls...já fizemos 3 ou 4 shows
Com um baixista q está quebrando o galho... não é Hard Rock e muito menos sleaze, e mesmo assim foi muuuito bem recebido pela galera.

Como ocorre na maioria das bandas, principalmente nas underground...
Vocês tiveram muitas dificuldades em achar integrantes para constituir uma formação estável?
T- Boné -
NO COMEÇO SIM, POIS A GALERA NÃO LEVAVA TÃO A SÉRIO, POSSO TE DIZER QUE SEM DÚVIDA ESTAMOS NA NOSSA MELHOR FORMAÇÃO COM MÚSICOS QUE AMAM A BANDA E SÃO MUITO AMIGOS DENTRO E FORA DELA.
Welder “Sex” Shane - Simmm...com concerteza! Achar alguém q curta o mesmo q agente, não é tão fácil assim (Risos) sempre eu acho q a atual formação, é a formação eterna... (Risos)... Mas nem sempre é assim... por isso hoje mudei minha forma de pensar...não me importo se o cara q está no Dolls vem do Metal...do Trash...enfim, se quer tocar, com vontade isso é o q importa!!!
Ps: to muito educado nessa entrevista
(Risos)
Geralmente falo muito palavrão e o q vem na cabeça
Hoje estou mais cabeça no lugar... (Risos)

Como você vê a cena underground de São Paulo? Principalmente para bandas de Hard/Glam?

T- Boné - CARA POSSO TE DIZER SEM MEDO DE ERRAR QUE É A MELHOR FASE DA HISTÓRIA AQUI EM SP PRAS BANDAS INCLUSIVE DESTE ESTILO, SHOWS COM CASAS SEMPRE CHEIAS, GALERA QUE SEMPRE APOIAM AS BANDAS, BANDAS APOIANDO BANDAS, INTERCAMBIO DE SHOWS A TODA HORA, CASAS PROFISSIONAIS QUE TRATAM BEM AS BANDAS INCLUSIVE COM CACHE, COISA.
QUE NUNCA ACONTECEU NA NOSSA CENA NO PASSADO, ESTOU CURTINDO MUITO ESSA FASE E TOMARA.
QUE SEMPRE MELHORE
E A CADA DIA CRESCE O NUMERO DE BANDAS DE HARD/GLAM POR AQUI COM TOTAL PROFISSIONALISMO CURTO VARIAS BANDAS POR AQUI E SÓ AGRADEÇO A TODAS ELAS PELO APOIO E SUCESSO A TODAS


Welder “Sex” Shane - Complicada... sempre foi assim... (Risos)... Mas vejo q vem crescendo muuito, muitos garotos e garotas novinhos curtindo um som... isso tudo graças a internet...na minha época não era fácil conhecer tantas bandas como hoje!! Ma acho isso bom... Informação sempre é bom, e por isso tocamos covers de bandas "diferentes", pra sair da mesmice e tentar mostrar pras pessoas q o Hard/Glam é muuito grande e não tem.
Só 3 ou 4 bandas!!!(Risos)


Você sempre usou essas mascaras de Veneza... Como surgiu essa idéia?
T- Boné -
ENTÃO EU SEMPRE CURTÍ O LANCE DE BANDAS QUE SE PREOCUPAM COM O LADO TEATRAL E VISUAL AFINAL TUDO FAZ PARTE DO SHOW E TODO GAROTO SEMPRE COMEÇA A CURTIR BANDAS ALEM DO SOM O VISUAL TAMBEM, PORRA COMECEI NA MUSICA OUVINDO KISS EM 1983, PRINCIPALMENTE PELO LANCE DA MAQUIAGEM, E ADORO BANDAS COMO KISS, ALICE COOPER, WASP, TWISTED SISTER, EZO, MARILYN MANSON, MURDERDOLLS, PEPPERMINT CREEPS E POR AI VAI.
ALEM DE TUDO SEMPRE FUI APAIXONADO POR MASCARAS DE VENEZA PELO SEU MISTERIO E NÃO ME LEMBRO DE OUTRA BANDA QUE APENAS UM INTEGRANTE USASSE MASCARA, E ISSO É BEM LEGAL, POIS NO FIM DO SHOW MUITA GENTE ME PEDE A MASCARA DE PRESENTE.


Quais São as influências da banda?
T- Boné - MUITAS, MAS AS PRINCIPAIS SÃO: PRETTY BOY FLOYD, MÖTLEY CRÜE, BIG BANG BABIES, SHAMELESS, KISS, POISON, ALICE COOPER, GEMINI FIVE, SKID ROW, PEPPERMINT CREEPS, HANOI ROCKS, TIGERTAILZ, HARDCORE SUPERSTARS, VAIN, PORRA TEM MUITAS SE EU FOR FALAR AS MINHAS EM ESPECIFICO ENTAO, VIXI TEM MUITA COISA E SE QUISER TE INDICO AS BANDAS NACIONAIS DE GLAM QUE EU CURTO TAMBEM... SINNERSAINTS (QUE É UMA BANDA FEMININA), HYPNOCHICKS, DRAGSTRIP TEASZE, DRAG HOOLIGANS, FAIR OFF, BASTARDZ, NYMPHO, BABY DOLL, LIPSTICK, TEM MUITA BANDA CARA SÓ VC VENDO MESMO EU FAÇO QUESTÃO DE DIVULGAR ESSAS BANDAS, POIS ACHO QUE UMA TEM QUE AJUDAR A OUTRA SEMPRE, AFINAL ESPAÇO TEM PRA TODOS E A CENA TEM QUE CRESCER, POIS A MÍDIA NÃO TEM CONHECIMENTO AINDA DESTA CENA SLEAZY GLAM
Welder “Sex” Shane -
Temos muuitas influências... Creio q varia muuito... mas de modo geral seriam...Pretty Boy Floyd, Poison, Motley Crue, Faster Pussycat, Big Bang Babies...
E como você vê essa nova onda de bandas de Sleze/Glam... Saindo pelo mundo com Crashdiete, Hardcore Superstar, Vains Of Jenna?
Welder “Sex” Shane -
Acho demais... curto muuito, muita gente diz q o HardRock não é mais o mesmo, q não vivemos mais nos anos 80...sim...pra isso estão aí essas bandas.... Um som mais moderno, mas q certamente têm muiitas influências do Hard Rock oitentista!!!
Como anda a agenda de shows?
Welder “Sex” Shane - Por estarmos sem baixista desde novembro, diria q está muito bem... estamos fazendo 1 ou 2 show por mês....isso é bom quando se trata de um cenário como nosso....onde o espaço maior é para bandas q tocam covers específicos!
Alguma consideração final...
T-Bone -
PO DESDE JÁ GOSTARIA DE AGRADER A SUA ATENÇAO COM O PINK DOLLS ESSA ENTREVISTA FOI MUITO LEGAL DE SE FAZER E NOS AJUDA MUITO EM TERMOS DE DIVULGAÇÃO E O APOIO QUE VCS DÃO AS BANDAS É SEMPRE MUITO IMPORTANTE
GOSTARIA DE DESEJAR MUITO SUCESSO AI PRA TODOS VCS E TAMBEM PRA TODAS AS BANDAS NA CENA

Welder “Sex” Shane - Valeu pelo espaço... pessoas como vocês, q fazem trabalhos como esse não deixam o Hard Rock acabar, foi um prazer responder a entrevista...para as pessoas q nos acompanham e nos dão força, obrigado por tudo...em breve sai nosso EP!!! Vemos-nos na estrada!!!! Abraços!! W.Shane

Obrigado por contribuir com o blogger... Sucesso e esperamos o EP!




 
posted by Botto Killer at 9:20 AM 0 comments
sábado, março 17, 2007
Saudações...
Essa é a entrevista com o Execution... Banda de Death Metal de Nova Santa Rosa -Paraná
Comfira o que rolou...(BK)


 
posted by Botto Killer at 10:16 AM 2 comments
domingo, janeiro 21, 2007

Não morri não porra...
Estamos marcando novas entrevista pra fevereiro/Março....Enquanto isso ainda estamos recenbendo material de muitas bandas!!!!

Hoje vai um Mp3 que recebi há um tempo já, mas que tinha perdido e os caras da banda muito paciêntes, mandaram de novo!
Bom essa banda é o Pink Dolls de São Paulo, banda de Sleaze Glam com influências de Pretty Boy Floyd, Poison, Kiss, Big Bang Babies, Gemini Five, Motley Crue, Alice Cooper, Faster Pussycat...
Sua Atual formação conta com Welder Shane Vocal, Ti Glam - Guitarra, T-Bone Bateria... No momento tão atráz de um baixista...Fica ai também....Quem quiser é só entrar em contato com os caras...
Essa musica é muito foda...Que vale lembrar que contava com o atual baixista do Bastardz Mid"Porn" Nite...
Baixem e comfiram!
(BK)

http://www.bestsharing.com/files/52JsqhL208672/sleaze%20drunk%20r'nroll%20PINK%20DOLLS.mp3.html
 
posted by Botto Killer at 4:04 PM 22 comments
terça-feira, janeiro 02, 2007


2007 Ano novo... Projetos antigos...hoje dia 02/01/2007...Votamos com força total com os dois projetos iniciados no ano passado...o Hard/Heavy Rondon blog e o Killstage ambos feitos para divulgações de bandas independentes...
Agradecendo a todos que deram apoio a esse projeto, a todos que assistiram os programas e repassaram pra galera, todos que comentaram, as bandas que mandaram demos, as bandas que participaram do programas... E que esse ano conseguiremos aumentar a divulgação das bandas e nos empenharemos para dar o apoio que essas bandas merecem...

Obrigado

Botto Killer E Dama Nitz

Primeiro poste do ano a banda vem de Santos - SP DRAGSTRIP TEASZE, banda de Sleze Glam, sujo,rápido,pesado,agressivo,barulhento como o rock'n'roll deve ser! A banda vem com a seguinte formação Elder Lükas - Lead Vocals Amy 'Sukie' Jones - Guitar,Vocals Dee Hartz - Guitar,Vocals Silvia Kill - Bass Allan Thrasher - Drums

Informações adicionais: Fizeram seu primeiro Show em Ponta Grossa - Paraná, com muita aceitação do público, O Baterista e o Vocalista, fizeram uma jam com o Grupo Bastardz no Blackmore Rock bar em São Paulo...O Ultimo show em são Paulo no Blackmore Rock bar foi muito bem aceito pelo público...É bom conferir e ficar de olho nessa banda... (BK)

Dragstrip Teasze
 
posted by Botto Killer at 7:08 AM 6 comments
terça-feira, novembro 21, 2006
Entrevista com o Baixista do Dammaged, Lucas Mutley, Confiram oq ue rolou (BK)



 
posted by DaMa at 5:10 PM 5 comments
domingo, novembro 12, 2006
Bo, tá ai a entrevista com o NTN, gravada ontem...
Filmamos outras músicas, mas infelizmente o som não ficou bom...


 
posted by DaMa at 1:05 PM 1 comments
segunda-feira, novembro 06, 2006

O Fere Shadow começou em outubro de 2003 na cidade de Curitiba/PR influenciado principalmente por bandas de Heavy Metal Tradicional dos anos 80 e 90. A formação do grupo se estabilizou em março de 2004 com os integrantes: Marco Lacerda (vocal), Thiago Neuwert (guitarra), Cássio Fugimoto (baixo) e Jonathan Bressan (bateria), todos os músicos bem jovens, nascidos entre 1988-1990, e muito dedicados. Infelizmente em setembro de 2006 o guitarrista Thiago Neuwert afastou – se da banda devido a problemas pessoais. A banda mesmo abalada com a situação se focou na procura de um substituto a altura, acertando então a participação de Rodrigo Cardoso na banda para realizar os últimos shows do ano e ainda auxiliar a banda na pré-produção do primeiro álbum Full-length com lançamento previsto para o inicio de 2007.

Fire Shodow – 7

Lost memories – A musica começa pesada. E continua com a mesma batida até o final... O que é Muito agradável... Contudo o restante da banda trabalha direitinho pra manter o resto da musica, o instrumental realmente é muito bom... Gostei muito de Lost Memories

Desire To Kill – O peso dessa musica é surpreendente... Achei que quando ouviria essa musica o vocal iria se parecer, mas com a outra musica... No entanto me enganei...Essa realmente é muito boa...o Vocal ta melhor... Do restante como na musica anterior o instrumental simplesmente destroem, apenas entre os 5,13 e os 5,30 a parte do solo, eles se atrapalham um pouco... fica muito rápido e acho que eles não foram muito felizes...

Está muito bom, só restam ensaiar e entrarem num estúdio para gravar... (BK)



Link para baixar
Fere Shadow
 
posted by Botto Killer at 12:44 PM 0 comments
domingo, novembro 05, 2006
Olá!

Aqui está a primeira entrevista, com Jeca Orgasmatron, baixista e vocalista da banda Hipnose Destrutiva.

 
posted by DaMa at 2:04 PM 3 comments
segunda-feira, outubro 30, 2006

Lilith's Spell – Curitiba – Paraná

Projeto Lilith's Spell começou em dezembro de 2005 com o objetivo de registrar a voz da Vocalista Janaina Santos para a participação em um concurso de vocalistas de Heavy Metal. Após um mês de ensaios e com a ajuda do compositor Marco Lacerda, que além de compor as músicas “Shadow in the Dark” e “Happy Ending” para o concurso, atuou no arranjo e na gravação das guitarras, o projeto pode ir ao estúdio gravar seu primeiro registro auto-intitulado. Com isso, a formação inicial foi: Janaína Santos (vocal), Cássio Fugimoto (baixo), Bruno Santos (bateria) e Marco Lacerda (guitarra).

Contando agora com: Marco Lacerda (guitarras), Janaína Santos (vocais), Pedro Serighelli (baixo) e Gustavo Schiochet (Bateria).


Lilith's Spell – 6

Segundo a Janaina essa demo traz apenas essas duas musicas mesmo Happy Endind que começa com um solo que com certeza você tem a sensação de já ter ouvido isso em algum lugar, ai a Janaina começa a cantar e putz... A musica começa a ficar pesada é muito bom...

Shadow In The Dark, gostei mais dessa musica, ela é mais pesada não foge muito do que é o Heavy Metal ainda mais com vocais feminino excelente trabalho dessa banda que vem chamando já a atenção lá fora... Mostrando mais uma vez que lugar de mulher é no Heavy Metal... A banda é muito boa, essa que gravou a demo...Se encaixam e sai tudo redondo...a produção é muito boa também... Vale a pena baixar... (BK)



lilith's_spell


 
posted by Botto Killer at 6:27 PM 0 comments
quinta-feira, outubro 26, 2006

Saudações... Primeiro post aqui no Hard/Heavy Rondon é a musica Caos, Apocalipse, Metal primeiro registro do Hipnose Destrutiva, divulgado no underground Rondonense... formada em novembro de 2004, por Lipe(Guitar) e pelos irmãos Jeca Orgasmatron (Vocal/Bass) e Rodrigo Armaggedrummer(Drums) Banda de Thrash/Heavy totalmente influenciada por bandas da década de oitenta e por álcool. Só tenho a dizer que é excelente, a musica é realmente muito boa, eles pecam apenas na produção. Realmente o vocal não aparece muito, você demora um pouco pra descobrir o que o Jeca está cantando, a bateria está nítida, e a guitarra também e o baixo, emfim o vocal que está fraco, não digo fraco em qualidade musical, mas sim em produção, às vezes rola microfonia. Porém para um primeiro trabalho, levando em considerando a idade e a influência e as condições de gravação ta bom. Se continuarem assim eles tem um ótimo futuro... (BK)


Link para baixar a musica:



hipnose_destrutiva



 
posted by Botto Killer at 7:42 AM 1 comments
terça-feira, outubro 24, 2006
Saudações Marechal Cândido Rondon Esse blog foi crido para divulgar as banda underground de Marechal e região! Quem quiser disponibilisar seu material para postar é só entrar em contato comigo!!!

Abraços!
 
posted by Botto Killer at 8:55 AM 0 comments